O AVIÃO, O CRIME E O CONGRESSO NACIONAL: PERPLEXIDADE



Enquanto olhávamos para Cuba vendo o paradoxo entre a “muerte del comandante” e o primeiro voo comercial entre Estados Unidos e a Ilha e, as cada vez mais estúpidas declarações de “McDonald Tramp” fomos acometidos pela dor e a perplexidade...

Os últimos acontecimentos do país são de tirar o fôlego, não é verdade? Tudo acontecendo ao mesmo tempo, o que nos tira a capacidade momentânea de ação, mas nos leva à necessidade obrigatória de reflexão.

Um avião cai matando jovens que, no auge de sua força, estavam em busca de um sonho, que traria orgulho ao país, e, sobretudo a uma pequena cidade do interior, demonstrando que o trabalho sério, o empenho traz retorno...

O fato leva principalmente o mundo do esporte, movido "pela grana" e pela competição acirrada e ,e, não raro, muito agressiva, a se solidarizar mundialmente em estádios lotados de lágrimas, onde se viu e ouviu a capacidade humana de honrar aquilo que de mais nobre nos move a todos: a compaixão...

Compaixão e respeito à dor do povo brasileiro levou também o mundo do cinema, “onde rola muita grana” a postergar o lançamento do filme “Sully”, marcada para hoje – sem previsão de nova data, até a noite de ontem - filme que retrata um acidente aéreo onde, ao contrário do que aconteceu na Colômbia, todos se salvam...

Ao lado disso, no Fórum da Barra Funda, ocorre um júri popular de um dos crimes mais hediondos e bárbaros cometido no país, onde de forma fria e calculista uma pessoa planejou e realizou a morte de outra, com requintes de crueldade e insanidade pouca vezes vistos...

Mas, enquanto o povo fica estático com a ebulição emocional provocada por esses acontecimentos, que nos levam a confrontar os valores espirituais mais caros que somos capazes de manifestar, somos aviltados, traídos por aqueles que, claramente foram escolhidos para defender nossos melhores interesses públicos. Aqueles que representam por mandato a nós todos, que, em ato vil focado em seus próprios interesses, na calada da madrugada acobertados pela dor que nos toma, e, em desrespeito ao anseio popular claramente manifesto por ação firmada por milhões de pessoas votam, pela manutenção da corrupção no país... Que vergonha! Que indignação!

Mas, o pior ainda estava por vir, pois aquele que está na linha sucessória do cargo mais importante da nação, o presidente da “casa alta” do Congresso, busca jogar “a pá de cal” por cima de nossos corpos e almas sofridos. O senador Renan Calheiros, tentou aprovar em regime de urgência o projeto vergonhoso sacramentado na Câmara! Mas, foi impedido por um lampejo de dignidade, felizmente ainda presente em muitos senadores. Que bom, que alívio, ao menos momentaneamente nessa sequencia de dor...

As mortes e a dor promovida pela queda do avião serão, certamente, objeto de reflexão e mudança no comportamento de muitos. Talvez pouco se possa fazer quanto à insanidade individual que, vez por outra, leva ao crime brutal. Mas, certamente muito podemos fazer para que figuras dantescas não mais nos representem. Sigamos, pois atentos e sejamos às mudanças que queremos e precisamos promover!

LEV BERNI DESENVOLVIMENTO HUMANO PSICOLOGIA & EDUCAÇÃO

  • Twitter - Grey Circle
  • Facebook Clean Grey
  • LinkedIn Clean Grey