O ABRAÇO DA IDEOLOGIA: DIABÓLICO OU SIMBÓLICO?

Depois de longa jornada o julgamento do Impeachment vai se encaminhando para o final. Daqui a poucas horas saberemos o resultado que nossa frágil democracia terá para seu futuro.

Foram meses e meses de análises técnicas e políticas, expressas em páginas e páginas de argumentos e fundamentações. Permeados de perguntas sérias, profundas, e de outras vazias de fundamento, de papel exclusivamente midiático.

Ao longo desse processo foi ficando cada vez mais claro que as análises bem fundamentadas, apresentadas pelos especialistas de ambos os lados, e que embalou os mais singelos e os mais acalorados discursos, abraçaram um único e “diverso” fundamento: a ideologia. Seria esse abraço simbólico (que leva ao entendimento), ou diabólico (que leva a desagregação)?

Sim, a ideologia que como filtro, possibilita uma visão de certo e de errado.

Foi a ideologia, ou melhor, diferentes ideologias que embalaram as construções narrativas que ambos os lados construíram na interpretação do fato, da lei. Foi por meio da ideologia que se admitiu o processo de impeachment, e por meio dela que se apresentou a versão do golpe e a versão do crime.

Foi por meio da ideologia que a grande e a pequena mídia apresentaram os fatos “interpretados” à população, pelos meios de comunicação. Só quem teve tempo e disposição para assistir a tudo, ou a quase tudo, na íntegra, que pode ver e julgar a questão à luz, é claro, de sua própria ideologia. No mais, o que vimos foram gravações que acirraram as divisões.

E enquanto se discutia no Senado o governo interino assumia e passava a agir com ares de permanente, para “contornar o problema criado”. E rapidamente vai se descortinando aos olhos atônitos, seu perfil reacionário. Sem mulheres, sem minorias, desarticulando com avidez muitas das conquistas, que com suor foram adquiridas.

Agora que a Gestalt se fecha, sigamos atentos às escolhas ideológicas que fazemos para gerir a democracia que queremos construir.

Editar


LEV BERNI DESENVOLVIMENTO HUMANO PSICOLOGIA & EDUCAÇÃO

  • Twitter - Grey Circle
  • Facebook Clean Grey
  • LinkedIn Clean Grey