ENTRE O GOLPE E AS POSTURAS REPUBLICANA

Os acontecimentos da última semana, sobretudo a forma de condução do Lula para depoimento, fizeram acirrar as manifestações polarizadas entre aqueles que vêm as coisas pelo ângulo do “golpe de estado contra o governo democraticamente eleito” e aqueles que as veem pelo lado das “posturas republicanas das instituições brasileiras”.

No meio disso está "o japonês", digo a Polícia Federal, felizmente “agindo de forma cortes”. Coisa não muito usual à polícia no Brasil. E a mídia grande e pequena, cavando ilustres defensores das duas posturas, dos dois lados; e muito, muito mesmo, vazamento de informação.

Julgamento político? Claro que sim. Mais um elemento importante para refletirmos sobre o presidencialismo que temos, e nas reformas políticas que precisamos fazer.

Nem tanto golpe, tampouco posturas tão republicanas assim. Como se defender, então, para formar uma opinião sem radicalizar? Ouvindo os dois lados, é claro. Mas para ouvir os dois lados, é preciso suspender a convicção para poder abrir um espaço interior para o diálogo, para ouvir a convicção do outro. Ninguém consegue dialogar se prejulgar o interlocutor.

Mas, vamos lembrar que tudo que sabemos, sabemos pela mídia. E nenhuma mídia é isenta. Claro que não. Pois a ideologia está em todo lugar, principalmente na cabeça – e no bolso – daqueles que detêm o poder dos meios de comunicação. Podemos/devemos ter (cons)ciência dela – da nossa ideologia – ou não. Mas ela está lá, como um filtro invisível, e é com ela que formamos nossa opinião, e ajudamos a formar a opinião do outro, mais pra esquerda ou mais pra direita.

O equilíbrio é uma arte que exige muita concentração. Discordemos pois uns dos outros, mas que o dissenso seja respeitoso, sem o movimento das torcidas organizadas que querem o sangue dos adversários. Com o dissenso respeitoso crescemos ao reconhecer o direito à alteridade e o Estado de Direito, tão fundamental às liberdades de crença e consciência, continua preservado.

LEV BERNI DESENVOLVIMENTO HUMANO PSICOLOGIA & EDUCAÇÃO

  • Twitter - Grey Circle
  • Facebook Clean Grey
  • LinkedIn Clean Grey